Matemática em Portugal – Uma Questão de Educação | Jorge Buescu


«Sabemos hoje sem sombra de dúvida que a «Escola de Sagres» nunca existiu – é uma ficção. O impacto dos portugueses na Matemática subjacente à navegação dos Descobrimentos (a navegação astronómica) foi nulo, porque ela já estava construída. O célebre astrolábio náutico português foi uma super-simplificação de um instrumento sofisticadíssimo para que pilotos iletrados o pudessem utilizar e ler um número sem fazer contas. Pedro Nunes foi um génio matemático ouvido em toda a Europa: mas foi um meteoro intelectual que caiu acidentalmente em Portugal. […] Nunes foi um matemático puro: não fez uma única descoberta com aplicações práticas na navegação. O célebre nónio nunca poderia ter sido utilizado a bordo de um navio, Nem sequer foi produzido um único exemplar em Portugal porque não havia tecnologia para isso. È quase certo que Nunes nunca viu um nónio nem pôs um pé num navio.»
pag. 15 e 16

«Depois da jubilação de Pedro Nunes da universidade (Coimbra), em 1563, a cadeira de matemática deixou de funcionar durante 3 décadas.»
pag. 52

«Nesse ano decisivo de 1759, Pombal causou um terramoto na educação, materializado no édito de expulsão e confiscação de todos os bens dos Jesuítas em Portugal. De um dia para o outro, Portugal acordou sem escolas, sem professores, sem estabelecimentos de ensino e com 20.000 ex-alunos na rua.»
pag 61

Esta entrada foi publicada em História, Livros. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s