Abraço | José Luís Peixoto

Hoje, tenho estas paredes à minha volta e a suspeita de que, entre o que sei estará já tanto daquilo que serei. O que ainda não está aqui, iniciou já o seu caminho, dirige-se ao ponto onde me encontrará.

pag. 164

«Sim» é uma excelente palavra. Tem um som civilizado. «Não» é uma palavra de monstros. Um «não» verdadeiro e completo tem de dizer-se com voz grave, voz de assustar crianças. Um «sim» diz-se com voz normal e humana.

pag. 244

A vida dos computadores é muito menor do que a das pessoas, menor até do que a dos gatos ou dos cães. Um ano na vida de um computador deve equivaler a uns vinte anos na vida de uma pessoa.

pag. 317

Desistir, como morrer, não é sempre mau. Há vezes em que não se pode evitar. Todos nos dizem continua, continua, mas é o mundo que desiste, inteiro, à nossa volta.

pag. 352

Precisamos das incertezas para não sermos geométricos e insuportáveis.

pag. 385

Da passagem dos minutos depende a felicidade ou infelicidade das horas. Da passagem dos dias depende o sucesso da vida inteira.

pag. 523

Desconhecer ainda mais o que julgamos conhecer é metade da tarefa, a outra metade – desconhecer o que já desconhecemos – está concluída.

pag. 601

Esta entrada foi publicada em Livros. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s