Domingo de Ramos e Oliveira

A Oliveira (Olea europaea L.), é uma árvore cuja altura máxima não ultrapassa os 10 m. Pertence à família OLEACEAE (a que pertence também o Freixo  Fraxinus excelsior L.) Tem um tronco baixo e contorcido. As suas folhas são persistentes, em forma de lança. No final da Primavera enche-se de flores brancas e levemente aromáticas, agrupadas em cachos. O seu fruto, a azeitona, inicialmente verde, vai ficando negra com a maturação, que se completa em  Outubro / Novembro. Tem uma camada exterior carnuda e no interior um caroço que protege uma semente. A sua variedade mais cultivada é a Olea europaea europaea que começou a ser seleccionada pelo homem há pelo menos 5500 anos. A variedade espontânea é o Oleo europaea sylvestris Brot., que tem um porte arbustivo, ramos espinhosos e frutos mais pequenos. É habitualmente designado por Zambujeiro. A Oliveira é uma importante fonte de óleo alimentar (azeite), que é extraído por compressão da parte carnuda do seu fruto e efectuada em lagares. O homem extrai azeite da azeitona desde o final do período neolítico. Os frutos são comestíveis. Antigamente, o seu óleo, para além do uso alimentar, era também utilizado na iluminação (lamparinas) e no tratamento de várias doenças fazendo, ainda hoje, parte dos rituais de muitas cerimónias religiosas. Na tradição judaica e cristã, a Oliveira é o símbolo da paz. Foi um ramo de Oliveira que uma pomba levou a Noé no final do Dilúvio. Segundo lendas antigas a cruz onde Jesus Cristo foi crucificado era feita de Cedro e de Oliveira. O monte das Oliveiras é um dos principais locais bíblicos já que é o local onde Jesus Cristo foi martirizado, onde ocorreu a ascensão e a traição de Judas Iscariote. A longevidade das oliveiras também é assinalável (na mitologia grega a oliveira é associada à longevidade). Calcula-se que muitas oliveiras de Israel serão contemporâneas de Jesus Cristo. No domingo de ramos, domingo que antecede o domingo de Páscoa, é usual a bênção dos ramos (onde os ramos de oliveira juntamente com o alecrim ocupam lugar de destaque). Estes na tradição popular eram oferecidos aos padrinhos pelos afilhados na troca do folar.

 

Poema  "O Zambujeiro"

Deus disse: "O Zambujeiro nasça".
Viril, rompeu da terra o Zambujeiro.
O tronco é o dum homem das montanhas.
São mãos de cavador seus ramos. Só as folhas,
Delicadas, suaves… Pela noita,
Quando tudo se cala, mesmo os pássaros,
O Zambujeiro canta…

in Pelo Sonho é que vamos de Sebastião da Gama

 

 

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Botânica. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s